Utilizando a ISO 9001:2015 como modelo de Planejamento Estratégico

Apesar de muitos hoje em dia ainda relacionarem a ISO 9001 com papelada, burocracia e auditores interrogando sobre controles de documentos, uma implementação eficaz da norma traz para as empresas uma estrutura sobre a qual elas podem construir suas estratégias de negócios.

Se você é uma das muitas pequenas e médias empresas que ainda não têm um planejamento estratégico, mas reconhece a necessidade de uma abordagem mais estruturada, pode considerar o uso da ISO 9001 como seu trampolim. Vou demonstrar a seguir como.

O que é uma estratégia?

O termo “Planejamento Estratégico” implica o emprego de uma “estratégia”, então, para que não presumamos que todos realmente saibam o que uma estratégia significa em seu sentido comercial mais amplo, vamos aqui entendê-la.

A ISO 9000:2015 – Sistemas de Gestão da Qualidade – Fundamentos e Vocabulário define estratégia como: Plano para alcançar um objetivo geral ou de longo prazo (3.5.12). Ampliando um pouco mais a visão, Planejamento estratégico consiste em integrar as atividades da organização e utilizar e alocar os recursos limitados dentro do seu ambiente de modo a cumprir seus objetivos.

Ao planejar uma estratégia, é essencial considerar que as decisões e qualquer ação realizada pela organização provavelmente provocará uma reação nas pessoas afetadas – concorrentes, clientes, funcionários ou fornecedores. A estratégia deve, além de tornar claro os objetivos, levar em consideração a incerteza dos eventos e o comportamento provável ou real dos outros.

Como a ISO 9001 pode ajudar?

A ISO 9001:2015 pode ajudá-lo a criar e implementar o Planejamento Estratégico da sua empresa. Seguem abaixo as cláusulas da norma relacionadas ao tema e comentários meus que buscam auxiliar você na criação e implementação do seu Planejamento Estratégico:

Cláusula 4.1 – A organização deve determinar questões externas e internas que sejam pertinentes para o seu propósito e para seu direcionamento estratégico e que afetem sua capacidade de alcançar o(s) resultado(s) pretendido(s) de seu sistema de gestão da qualidade.

Comentários: O contexto organizacional é a base do Planejamento Estratégico, é necessário conhecer bem onde se está para se definir como e onde se quer chegar.  Em adendo a esta cláusula, deve-se avaliar a 4.2 – Entendendo as necessidades e expectativas das partes interessadas.

Cláusula 5.2 – A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma política da qualidade que seja apropriada ao propósito e ao contexto da organização e apoie seu direcionamento estratégico.

Comentários: As interações das empresas com seus clientes não são as únicas relevantes, é preciso considerar a empresa em um meio composto por sociedade, órgãos reguladores, seus próprios colaboradores, fornecedores, governos, entidades, etc. A política da qualidade tem que ser apropriada a essas expectativas e interações.

Cláusula 6.2.1 – A organização deve estabelecer objetivos da qualidade nas funções, níveis e processos pertinentes necessários para o sistema de gestão da qualidade.

Os objetivos da qualidade devem:

a) ser coerentes com a política da qualidade;
b) ser mensuráveis;
c) levar em conta requisitos aplicáveis;
d) ser pertinentes para a conformidade de produtos e serviços e para aumentar a satisfação do cliente;
e) ser monitorados;
f) ser comunicados;
g) ser atualizados como apropriado.

A organização deve manter informação documentada sobre os objetivos da qualidade.

Comentários: Além de determinar processos e responsabilidades, é importante aqui definir indicadores que realmente contribuam para uma avaliação de desempenho eficaz, e não que estejam lá apenas para cumprir os requisitos da norma.

Cláusula 6.2.2 – Ao planejar como alcançar seus objetivos da qualidade, a organização deve determinar:

a) o que será feito;
b) quais recursos serão requeridos;
c) quem será responsável;
d) quando isso será concluído;
e) como os resultados serão avaliados.

Comentários:  Todos os envolvidos devem entender o seu papel nos processos e estar comprometidos com as metas da organização. Convém definir metas para todos os processos junto aos seus gestores/ líderes e com planejamentos estruturados de como atingi-las (ações, recursos, responsáveis e prazos).

Cláusula 9.3.1 – A Alta Direção deve analisar criticamente o sistema de gestão da qualidade da organização, a intervalos planejados, para assegurar sua contínua adequação, suficiência, eficácia e alinhamento com o direcionamento estratégico da organização.

Comentários: O papel dos líderes, gestores e é essencial para assegurar que ações implementadas permaneçam alinhadas com o que foi planejado. Sem o comprometimento da Alta Direção, dificilmente os objetivos da organização serão alcançados.

Conclusão:

Pelo que foi apresentado, podemos dizer que a estrutura fornecida pela ISO 9001:2015 pode ser usada pelas organizações para o Planejamento Estratégico, mas quando a direção rejeita o SGQ como modelo de planejamento estratégico e toma decisões intuitivas, a ISO 9001:2015 não pode abordar ou contribuir no processo de planejamento estratégico, correndo o risco de se tornar apenas uma papelada burocrática que não contribuirá para o crescimento da organização.

Precisa de ajuda?

Deseja implementar um SGQ na sua empresa e obter uma certificação ISO 9001? Gostaria de certificar o seu produto junto ao Inmetro? Precisa de treinamento para sua equipe? Fale com a BRICS através dos seus canais de contato, ela possui um time de especialistas que irão auxiliá-lo nas suas demandas.

Sucesso sempre!
Faustino Júnior – LinkedIn: faustinojunior | Instagram: @admfaustinojunior
Administrador de Empresas, Auditor Líder ISO 9001/22000. Possui experiência em criação de canais de distribuição de produtos, planejamento estratégico e desenvolvimento de negócios, implantação de Sistemas de Gestão de Qualidade e desenvolvimento de competências profissionais.

Comentários são bem vindos. Não esqueça de compartilhar o conteúdo em suas redes sociais!

Deixe Seu Comentário: